A CAMINHO DO PALCO MUNDIAL

Exposição Internacional de Arte – La Biennale di Venezia Evento Colateral de Macau, China

 

MACAU E A EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE ARTE - BIENAL DE VENEZA

A Exposição Internacional de Arte, Bienal de Veneza, realizada pela primeira vez em 1895, é um grande acontecimento artístico, com um ilustre historial, que ao longo de décadas tem atraído centenas de milhar de apreciadores de arte do mundo inteiro. Em 2007, o Museu de Arte de Macau, participou, pela primeira vez, neste prestigiado evento, sob a designação de ‘Macau, China’, mostrando ao mundo obras dos artistas de Macau que permitiram aos apreciadores internacionais ficar a conhecer melhor a arte que se faz na RAEM.

 

O EVENTO CULTURAL MAIS ANTIGO

No final do século XIX, várias exposições de grande escala surgiram uma após a outra, mas a Bienal de Veneza foi a pioneira de todas as grandes exposições de arte deste tipo. A ideia remonta a 1893, quando o prefeito de Veneza se propôs organizar uma "bienal de arte nacional", programada para dois anos depois, para celebrar o aniversário das bodas de prata do rei Umberto I e da rainha Margherita, de Itália. Em 1894, o governo de Veneza decidiu seleccionar obras de artistas italianos e também convidar artistas estrangeiros para participar na planeada exposição. E assim, ampliada a partir da mostra originalmente nacional, a primeira Exposição Internacional de Arte estreou-se em 1895 com grande sucesso, registando mais de 200.000 visitantes.

 

UMA DAS EXPOSIÇÕES CONTEMPORÂNEAS DE ARTE MAIS PRESTIGIADAS

A Bienal de Veneza, a Documenta Kassel e a Bienal de S. Paulo são consideradas as mais importantes exposições de arte contemporâneas, sendo que a primeira, sendo a mais antiga, é sem dúvida a de maior reputação mundial.

 

OS TRÊS CATEGORIAS DA S EXPOSIÇÕES

Os Pavilhões Nacionais: situados no Gardini di Castello, mostram as obras dos artistas contemporâneos mais activos dos diversos países, revelando o seu potencial. Este ano, participaram 90 países na Bienal.

Pavilhão Temático: alberga a exposição internacional com obras de artistas expressamente convidados pelo curador da Bienal de Veneza para apresentarem trabalhos relativos ao tema proposto. Estes artistas convidados são em regra nomes famosos do mundo das artes. Este ano, a exposição internacional contou com 79 artistas de todo o mundo.

Eventos Colaterais: Concebido para que as museus e galerias possam apresentar projectos através de pequenas exposições em recintos espalhados por toda a cidade de Veneza. Os Eventos Colaterais providenciam um palco paralelo para os artistas dos diversos países poderem apresentar as suas obras, ao lado de mestres internacionais mais conceituados. A exposição de Macau integra-se nesta categoria.

 

RECINTOS DA EXPOSIÇÃO

Gardini di Castello: O recinto que foi construído para a primeira edição da Bienal de Veneza tornou-se o Pavilhão de Itália. A partir de então foram sendo construídos, na chamada zona Gardini, os pavilhões para as participações internacionais, começando pela Bélgica em 1907 e seguindo-se a Hungria, Alemanha, Reino Unido, França e Rússia. Actualmente, após décadas de desenvolvimento, há em Giardini um total de 30 pavilhões nacionais e uma livraria.

Arsenale: O Arsenale é o maior centro de produção pré-industrial do mundo e é um sítio importante de Veneza, não só porque foi ali construída a famosa esquadra Serenissima mas também porque os estaleiros, depósitos e oficinas eram um símbolo do poderio militar, económico e político que Veneza deteve durante séculos. A partir de 1980 a zona foi transformada num recinto de exposições e nele actualmente têm lugar as exposições temáticas.

Ruas e Arcadas em redor de Veneza: Alguns edifícios antigos foram restaurados e adaptados para albergar recintos de exposição e actividades culturais. Por isso, hoje em dia, as exposições ocorrem nos mais variados locais, nas esquinas, espaços abertos, teatros, galerias e cinemas, por toda a cidade. A mostra de Macau apresenta-se num destes recintos .

 

 

PARTICIPAÇÃO DAS QUATRO REGIÕES DO ESTREITO

1993 Primeiro convite a artistas chineses das Quatro Regiões do Estreito para participarem na 45a edição da Bienal

1995 Taiwan participa pela primeira vez, como região

2001 Hong Kong participa pela primeira vez

2003 A China é convidada a expor na 50a edição da Bienal mas, devido à epidemia de SARS, a exposição é mostrada no Museu de Arte de Guangdong, embora reconhecida como parte oficial da Bienal.

2005 A República Popular da China participa oficialmente na Bienal

2007 Primeira Participação de Macau na Bienal